sábado, 3 de janeiro de 2015

Buquê...

Ramos de noiva?

Sim, esse era o nome do que hoje conhecemos como buquê de noiva, a história conta que na Grécia antiga as noivas levavam os ramos de ervas e alho pra atrair bons fluidos e afastar mau-olhado. Na Idade Média as noivas faziam o trajeto até a igreja a pé e ao longo do caminho elas recebiam flores, ervas, alho e até alguns galhos, e ao chegar à igreja já tinha se formado um grande RAMO DE NOIVA.
Foi na Europa que os ramos se sofisticaram, eles passaram a ser chamados de buquê (palavra de origem francesa que significa ramalhete ou ramo de flores).  Antigamente as noivas confeccionavam dois buquês, um era abençoado pelo sacerdote e ficava exposto em sua casa dentro de uma cúpula e o outro era arremessado para as solteiras que de acordo com a tradição quem conseguisse a graça de pega-lo seria a próxima a se casar. E a Equipe Fé em Feltro adoooooora casamentos e não poderia ficar de fora dessa brincadeira, acreditando na tradição nossa Equipe confecciona vários modelos de buquês divertidos para fazer a alegria das solteiras! Santo Antônio, sapos, pimenta, coração, cupidos etc... Então não fique de fora, aproveite pra garantir o seu!
Beijos...



Curiosidades:
Na Polônia acreditava-se que colocar açúcar no buquê faria com que a noiva permanecesse com temperamento “doce” ao longo de todo o tempo de matrimônio.

Na Época Vitoriana (séc. XIX) não era permitido declarar sentimentos publicamente então criou-se a linguagem das flores, onde algumas espécies e cores significavam  intensões e a partir daí, os buquês eram escolhidos através dessa linguagem, como acontece em vários momentos até hoje.